Projeto “Sons da África” na Caixa Cultural Salvador.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Um diálogo musical que transita entre a ancestralidade africana e a riqueza melódica da música contemporânea. Com a proposta de estímulo ao intercâmbio cultural, o Projeto “Sons da África” reúne, em sua 2ª edição, o cantor, multi-instrumentista, poeta e compositorMû Mbana, o cantor e compositor Lazzo Matumbi e a cantora Nara Couto. Os shows serão realizados entre os dias 16 e 18 de junho, no Salão Nobre da Caixa Cultural Salvador.

Na sexta-feira (16), às 20 horas, o dono de uma das mais expressivas vozes da música brasileira, Lazzo Matumbi, divide o palco com Mû Mbana. No sábado (17), também às 20 horas, a anfitriã é a cantora Nara Couto, considerada uma das novas jóias da música produzida na Bahia. No domingo (18), às 19 horas, o público confere show solo do multi-instrumentista. Os ingressos custam R$ 10,00 a inteira e serão vendidos a partir do dia 16/06, às 9h, para as três datas, na bilheteria da Caixa Cultural, localizada na Avenida Carlos Gomes.

INTERCÂMBIO MUSICAL
Nascido na Ilha de Bolama, na Guiné-Bissau, país da África Ocidental, Mû Mbana cresceu influenciado pelo canto das mulheres e as músicas religiosas do povo Brame e Bidjugu. Sua poesia e sonoridade chegam ao público acompanhados do simbi, instrumento de cordas que usa uma cabaça como caixa de ressonância. “Preparei músicas especialmente para este encontro. Vamos trabalhar com muita fluidez”, afirma o artista.

Com 35 anos de carreira, o cantor e compositor Lazzo Matumbi é referência para toda uma geração de cantores de blocos afros. Autor de sucessos como “Do Jeito que Seu Nego Gosta” e “Alegria da Cidade” (em parceria com Jorge Portugal), já dividiu o palco e gravou ao lado de grandes nomes da música nacional e internacional. “Acho enriquecedor, para ambas as partes, a troca de energia e musicalidade com artistas de outros países. A gente passa a conhecer a cultura do outro, busca de pontos de conexões, e é ainda mais prazeroso para mim quando se trata de artistas da África. Pedi ao produtor que me enviasse alguns dos trabalhos de Mû Mbana para ouvir com calma e tentar absorver a musicalidade dele, pois sei que em África há uma outra acentuação de célula. O público pode aguardar o resultado sonoro de três artistas que interagem e convidam as pessoas a se emocionar. A gente quer gerar uma apresentação diferente, inédita e de alta qualidade”, afirma Lazzo.

Dançarina de formação, especializada em dança afro contemporânea, Nara Couto atuou no Balé Folclórico da Bahia e, em 2009, ingressou como vocalista mezzo soprano na Orquestra Afrosinfônica. Em viagens por diversos países africanos, pesquisou as origens da cultura afro-brasileira e sua relação com a musicalidade baiana. Essa memória ancestral-afetiva inspira seu trabalho atual, ao lado da música tradicional e contemporânea feitas hoje no continente africano. “Essa busca resignificou o que habita dentro de mim para apresentar a minha africanidade de forma contemporânea e experimental. A partir de toda essa trajetória e vivência, fora e dentro do palco, espiritual e material, trago a textura vocal e instrumental que me representa hoje. Levarei para o público canções que representam a minha vivência espiritual e política, de forma contemporânea, onde o sentir tem prioridade máxima. Esse encontro reaviva um desejo ancestral do encontrar, do juntar, do celebrar, onde estaremos juntos através da arte, através do som, através da música”, afirma Nara Couto.

SONS DA ÁFRICA -A 3ª edição do Projeto Sons da África contará com a participação do percussionista senegalês Maher Cissoko, entre os dias 14 e 16 de julho, ao lado do músico Tiganá Santana e da cantora Márcia Short. A 1ª edição, realizada entre os dias 12 e 14 de maio, contou com shows da cantora e compositora Mariama (Serra Leoa), que dividiu o palco com as cantoras e compositoras baianas Mariella Santiago eAiace. “Nossa ideia é fazer uma provocação artística, ao reunir músicos unidos por essa ancestralidade comum e descobrir o que irão fazer juntos. Queremos desconstruir estereótipos. Por isso, estamos reunindo artistas de países e sonoridades bem distintas. Estamos falando da riqueza de sentidos e referências de um continente que tem mais de 50 países”, explica o coordenador e idealizador do projeto “Sons da África”, Emílio Mwana.

OFICINAS-A programação inclui a realização de oficinas gratuitas com os músicos africanos convidados. Nesta 2ª edição, o cantor, multi-instrumentista, compositor e poeta Mû Mbana apresenta o Workshop de Ritmos e Músicas da Guiné-Bissau. O programa inclui canções tradicionais da Guiné, brincadeiras de poliritmia com a voz, iniciação em alguns dos ritmos da Guiné-Bissau, canto em grupo e improvisação coletiva. A atividade será realizada no sábado (17), às 10 horas, na Caixa Cultural, com capacidade para 30 pessoas. As inscrições podem ser feitas presencialmente no dia da oficina, 30 minutos antes do início da atividade.

SERVIÇO: Projeto “Sons da África” – 2ª edição. Onde: Caixa Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57,
Quando: 16/06 (Sexta-feira): Lazzo e Mû Mbana, às 20h 17/06 (Sábado): Lazzo e Mû Mbana, às 20h
18/06 (Domingo): Lazzo e Mû Mbana, às 19h
Ingressos: R$ 10,00 (dez reais) a inteira e R$ 5,00 (Cinco reais) a meia.
Vendas: A partir de 16/06, às 9h, na bilheteria da Caixa Cultural.Estacionamento gratuito ao lado.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Salvador Acontece - Copyright©2007 Salvador Acontece. Todos os direitos reservados. | by TNB-Adaptação:José Mendes ©