Vídeo de artista brasileira é exibido em galerias de Nova York, Amsterdã e Berlim

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Vídeo-música exposto em três países marca novo trabalho da artista brasileira Cândida
Faixa do próximo álbum da cantora inspirou vídeo exibido em galerias de Nova York, Amsterdã e Berlim; trabalho tem parceria com o compositor baiano Jeã de Assis e a diretora carioca Denise Telles-Hofstra.
O vídeo-música “Reza Pro Mar” da artista Cândida Borges é o representante do Brasil na exposição “Borderless: In Perspective”, que acontece até o próximo sábado (17), em uma mostra que acontece simultaneamente, em Nova York, Amsterdã e Berlim. O evento, que marca o lançamento da faixa principal do próximo álbum de Cândida (com lançamento previsto para março), tem a curadoria de David C. Terry.

A obra dialoga com a temática do evento, que discute o alargamento de fronteiras. De criação multidisciplinar, “Reza pro Mar” apresenta música, vídeo e coreografia, inspirados na estética do Trip Hop e do Cinema-Dança, conceito desenvolvido pela diretora Denise Telles-Hofstra.  O filme, que será divulgado após a exposição nas redes sociais da artista, explora os elementos místicos do mar, do tempo e espaço e do feminino. “As religiões africanas relacionam a força feminina com as águas sagradas, muito presente também nas culturas americanas, do Sul e Central. O oceano é o principal símbolo de ser sem fronteiras, e ao mesmo tempo, pode se adaptar ao formato de qualquer borda”, afirma Cândida. 
A mostra reúne ainda artistas de diferentes áreas do Programa de Artistas Imigrantes da New York Foundation for the Arts (NYFA) e comemora seus 10 anos de existência, que conta com um seleto número de brasileiros nessa trajetória. Cândida foi selecionada em 2014 e, desde então, participa das atividades da fundação. 

Sem fronteiras - Gravado na Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, o vídeo tem como tema a música composta no Largo da Vitória, em Salvador, por Cândida e seu parceiro baiano Jeã de Assis. A faixa tem produção Musical de Rick Dub (SP), voz e pianos de Cândida, e cordas gravada por jovens de uma comunidade em Heliópolis, Grande São Paulo. O filme tem  direção coreográfica e cênica de Denise Telles-Hofstra, com quem Cândida divide a concepção do trabalho. 

A artista - Cândida se identifica como ‘baioca’: meio baiana, meio carioca. Ela é professora da Escola de Música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e concilia pesquisa e carreira autoral, após anos de palco no cenário erudito. Desde que ganhou o Prêmio Funarte para Residência Artística Internacional, em 2013, desenvolve em Nova York pesquisa na área de Performance e Inovação em Artes. Seu último trabalho, o EP Cândida, foi recebido com empolgação pela cena nova-iorquina e contém músicas com linguagem mista entre a eletrônica e o acústico.

Serviço: Exposição “Borderless: In Perspective” com mostra do trabalho “Reza Pro Mar”, de Cândida 3 a 17 dezembro
Onde? Galerias de Nova York, Amsterdã e Berlim (NYFA, Museum van Loom e Lite-haus Galerie, respectivamente)

0 comentários:

Postar um comentário

 
Salvador Acontece - Copyright©2007 Salvador Acontece. Todos os direitos reservados. | by TNB-Adaptação:José Mendes ©