Goethe-Institut Salvador inaugura residência artística de referência para o sul global

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Investir em relações humanas e culturais é um dos princípios do Goethe-Institut, instituto cultural da República Federal da Alemanha atuante globalmente e presente em Salvador desde 1962. Após estes mais de 50 anos de atividade na capital baiana, uma nova frente de trabalho se consolida e representa um marco do diálogo entre o Brasil e demais países do hemisfério Sul a partir da presença de artistas de todo o mundo: trata-se do Programa de Residência Artística Vila Sul, que se torna o terceiro no âmbito geral das 159 unidades do Goethe-Institut existentes no planeta, e primeiro e único no “sul global”, abaixo da Linha do Equador. A inauguração se dará no dia 16 de novembro, a partir das 19 horas, numa cerimônia festiva, abrindo as portas dos quatro apartamentos construídos no andar superior da bela sede localizada no Corredor da Vitória.
Para marcar o momento, estarão presentes o Presidente do Parlamento Alemão, Prof. Dr. Norbert Lammert; o Presidente do Goethe-Institut, Prof. Dr. h.c. Klaus-Dieter Lehmann; o Embaixador da Alemanha no Brasil, Dr. Georg Witschel; e a Cônsul Geral da Alemanha em Recife, Maria Könning. Também marcarão presença a Cônsul Honorária da Alemanha em Salvador, Dra. Petra Schaeber, e a Diretora Regional do Goethe-Institut, Dra. Katharina von Ruckteschell.

A escolha de Salvador para esta empreitada não foi ocasional: a primeira capital do Brasil, localizada no estado onde os portugueses chegaram há 500 anos, tem a potência de uma história que bem simboliza realidades do hemisfério sul. A cidade é uma das pontas do que foi o chamado Triângulo Atlântico, que se estendia entre as Américas, a costa oeste da África e a Europa, constituindo relações comerciais que, a partir do século XVI, levaram ao sequestro de milhões de africanos escravizados para as Américas. Até hoje, Salvador, com seus 83% de população afrodescendente, é tida como a cidade mais negra do mundo fora da África e, também por isso, é um lugar oportuno para questionar, de sua perspectiva sul, as relações de poder e as condições sociais globais, bem como os seus discursos acadêmicos.

O Sul, portanto, não é apenas um fato geográfico. Por isso, para as residências, será essencial que a vinda dos residentes se baseie no seu interesse genuíno em questionamentos que abordem perspectivas do tema ou que promovam o diálogo entre países deste hemisfério, independentemente de sua origem. Salvador, em troca, oferece a sua famosa hospitalidade e o vigor de sua cultura. Junto com o clima tropical e as belezas de uma cidade barroca, contornada por praias, os visitantes estarão instigados a sair de casa e mergulhar de cabeça na vida baiana, condições ideais para um intercâmbio intenso com as cenas locais e as pessoas na rua.

Ao longo de 2016, 12 artistas já realizaram atividades da residência, numa temporada de experimentações deste processo. Inaugurando a hospedagem de fato, estão instalados, desde outubro, cinco residentes: Adolphe Binder, romena radicada na Alemanha, curadora, dramaturga e produtora, diretora artística do Tanztheater Wuppertal Pina Bausch; Grada Kilomba, escritora, teórica e artista interdisciplinar portuguesa, que trabalha com questões de gênero, raça, trauma e memórias; e mais três alemães: o cientista político Christoph Bieber, que pesquisa sobre ética, responsabilidade política, transparência, comunicação pública, democracia e novas mídias; o cenógrafo e figurinista Jürgen Kirner; e a curadora e dramaturga em dança e teatro Sigrid Gareis.

Daí em diante, serão recebidos, de dois em dois meses, um grupo de convidados internacionais. A princípio, os residentes – artistas e pesquisadores, bem como jornalistas e interdisciplinares – não se candidatam: eles são nomeados por meio de um processo de indicação da rede internacional do Goethe e de seus parceiros. Num futuro próximo, porém, um júri local responderá por esta seleção.

Na prática das residências, não são exigidas entregas – não é o resultado das estadias o que importa, e sim uma troca viva entre os convidados e as cenas locais. Com este intuito, todos os residentes participam de, no mínimo, dois eventos públicos. O Goethe-Institut atuará como mediador dos processos, na articulação de propostas e no estabelecimento de contatos com os numerosos e multifacetados parceiros locais. Podem nascer destes encontros tanto ações espontâneas quanto eventos previamente planejados, em espaços públicos, universidades, equipamentos culturais e, sobretudo, nas próprias instalações do ICBA: o teatro, as galerias, a biblioteca, ateliês, estúdios, salas de aulas, pátio e café.

PROGRAMAÇÃO DA FESTA DE INAUGURAÇÃO – Às 19 horas, o ato oficial de inauguração, apenas para convidados, será consumado com as falas das autoridades presentes. Depois, a partir das 20 horas, inicia-se a parte festiva, embalada por dois DJs: um da Bahia e um da Alemanha. ÀTTØØXXÁ será o representante local, trazendo a convergência de sons ecoados pelas periferias do mundo, começando pelo epicentro musical do planeta, a África, em contraponto com o estudo sobre as frequências que estimulam o corpo a se mexer em ritual; forças percussivas e frequências do subgrave se fundem. Já Daniel Haaksman, vindo de Berlim, DJ, produtor e jornalista, introduz, desde 2004, o som de favelas do Rio de Janeiro a uma audiência global. Seu set mistura baile funk, house, trap, bubbling, kuduro e tudo que vem animando multidões em todos os lugares. Daniel não conhece regras musicais, com exceção de uma: um DJ deve agitar a festa. Enquanto isso, algumas intervenções artísticas são esperadas, incluindo performances dos artistas associados ao Dimenti, ambiente de criação e produção cultural de Salvador, que também tem no Goethe-Institut um espaço estimulador e acolhedor dos seus variados projetos. Para completar, o legado deixado pelos residentes que estiveram na cidade ao longo do ano estará disposto em toda a casa, compondo uma espécie de circuito artístico que revelará resultados desta recente jornada.

ESTRUTURA FÍSICA – Durante a sua estadia em Salvador, os residentes habitam quatro apartamentos individuais no estilo ‘loft’, além de compartilhar um amplo espaço coletivo, com cozinha, mesas de jantar, poltronas e toda acomodação necessária a horas de convívio. A obra foi executada pelo escritório Andresch Arquitetura, do arquiteto alemão Andreas Schulze, que reside e  atua em Salvador desde o ano 2000. A estética é clean e a ambiência é versátil, acolhedora a agentes dos mais diversos campos artístico-culturais. Por princípio, a construção manteve as características do casarão do Goethe-Institut Salvador, com suas fachadas tradicionais e cores já reconhecidas pelo público da cidade. 

O SUL – Nos atlas modernos, a Europa quase sempre se localiza na parte de cima. A rigor, o Ocidente tem transformado o globo – a esfera sendo o protótipo da forma igualitária – em uma torre hierárquica, que conhece apenas o cima e o baixo. O modernista uruguaio Joaquín Torres-Garcia foi um dos primeiros sul-americanos a reconhecer essa desigualdade estrutural de traços coloniais e, já em 1935, fundou a Escuela del Sur. Seu mapa do mundo virado “de cabeça para baixo” aparece hoje como um símbolo de uma nova geopolítica. Assim, passou-se a falar em Sul Global, um cinturão político que se estende desde o Brasil, passando pela África do Sul e Índia, até a Indonésia. O intercâmbio transcontinental e intelectual no hemisfério sul está crescendo rapidamente. Os protagonistas desse diálogo estão decididamente se emancipando tanto dos EUA quanto da Europa.

Nesse processo, o Brasil, país economicamente mais expressivo da América do Sul, desempenha um papel particular devido ao seu prestígio político e por conseguir estabelecer um diálogo Sul-Sul sobre economia, política e cultura que há muito é necessário como eixo concomitante ao diálogo Norte-Sul. Essa mudança de perspectiva possibilita o surgimento de novos cenários culturais e geopolíticos, bem como de novos campos de ação que serão de grande relevância para o diálogo intercultural com os países do “Norte” e, portanto, também para a Alemanha. Porque, para manter uma voz audível nos discursos futuros, será indispensável que a Europa se abra às perspectivas do Sul e as compreenda melhor. 
Grada Kilomba e Christoph Bieber são bolsistas da Robert Bosch Stiftung, uma das maiores fundações corporativas da Alemanha, parceira do Goethe-Institut.

INAUGURAÇÃO VILA SUL Goethe-Institut Salvador-Bahia (Av. Sete de Setembro, 1809, Corredor da Vitória)
Quando: 16 de novembro (quarta-feira)

19 horas: cerimônia oficial com a presença de autoridades
Prof. Dr. Norbert Lammert – Presidente do Parlamento Alemão
Prof. Dr. h.c. Klaus-Dieter Lehmann – Presidente do Goethe-Institut
Dr. Georg Witschel – Embaixador da Alemanha no Brasil
Maria Könning – Cônsul Geral da Alemanha em Recife
Dra. Petra Schaeber – Cônsul Honorária da Alemanha em Salvador
Dra. Katharina von Ruckteschell – Diretora Regional do Goethe-Institut
= Para convidados

20 horas: celebração Com DJs ÀTTØØXXÁ e Daniel Haaksman Performances dos artistas associados ao Dimenti
Circuito artístico com legado deixado pelos residentes = Aberto ao público  
Site: www.goethe.de/bahia Facebook: www.facebook.com/goethe.bahia Instagram: @goethe.bahia

0 comentários:

Postar um comentário

 
Salvador Acontece - Copyright©2007 Salvador Acontece. Todos os direitos reservados. | by TNB-Adaptação:José Mendes ©