Exposição As Aventuras de Pierre Verger

terça-feira, 3 de março de 2015

Exposição As Aventuras de Pierre Verger propõem a adultos e crianças uma viagem pela trajetória do etnólogo e um dos mais importantes fotógrafos do mundo 
Com concepção sensorial e multilinguagem, a mostra ocupa o Museu de Arte Moderna da Bahia. A abertura acontece em 12 de março 
A exposição, uma das mais completas já realizadas pela Fundação Pierre Verger, celebra a finalização do projeto de digitalização de sua obra  
 
 Numa iniciativa inédita, a Fundação Pierre Verger realiza a exposição As Aventuras de Pierre Verger, elaborada para possibilitar principalmente ao público infantojuvenil a apreciação da obra do etnólogo e babalaô, reconhecido como um dos maiores nomes da história da fotografia no mundo. A mostra, que se distribui pelo casarão principal do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), tem abertura no dia 12 de março, às 19h, e visitação a partir do dia 13. Reúne cerca de 270 imagens registradas por Verger em diversas partes do mundo, e, numa concepção sensorial e multilinguagem, propõe explorar, além da visão, outros sentidos do público e destacar o cruzamento da fotografia com vídeos, tecidos artesanais de diferentes países e artes sequenciais (quadrinhos).

A exposição marca a finalização do projeto Memórias de Pierre Verger, patrocinado pela Petrobrás e pela Odebrecht e que, por quatro anos, encampou a tarefa de duplicar digitalmente o valoroso acervo fotográfico da Fundação e de concluir o seu acondicionamento em condições adequadas. A mostra, portanto, ganha o caráter de celebração: é uma das mais completas realizadas pela instituição criada pelo próprio fotógrafo francês na Bahia, local que escolheu para residir depois de viajar pelo mundo registrando as expressões culturais e o cotidiano de diversos povos.

Olhar humano - Durante três meses – a mostra permanece em cartaz até 31 de maio -, o público é convidado a “embarcar” numa instigante viagem que retrata as experiências vividas por Pierre Verger (Paris, 1902 — Salvador, 1996), em um século marcado pelo desbravamento de fronteiras e guerras mundiais. A exposição está dividida em nove módulos: Paris, Viagens, Polinésia, Saara, China, Peru, África, Projeto e Educativo (leia abaixo). Estes funcionam de maneira interdependente, como partes autônomas de uma cartografia geográfica e temporal, mas, que, graças sobretudo ao olhar humano do fotógrafo, torna-se atemporal e reflexiva do Eu e do Outro. 

Segundo Alex Baradel, responsável pelo acervo da Fundação Pierre Verger e curador-organizador da mostra, um dos pontos interessantes da exposição são as diversas formas de abordar as imagens: “A apreciação pode se dar como elemento autobiográfico, como caderno de viagem, como obra de arte, como documento histórico e antropológico ou como poesia. Além disso, a exposição é uma forma de apresentar, ao mesmo tempo, parte do acervo que foi tratado durante o projeto e, ao final, no módulo Projeto, como se deu este tratamento”, destaca.

Personagens e viagens

São cerca de 220 imagens expostas ao longo do circuito e outras 50 que integram os vídeos que compõem a exposição. Onze ilustrações do artista visual baiano Bruno Marcello (Bua) também acompanham a mostra, retratando ou ficcionalizando o personagem Verger em diversos episódios e contextos vividos por ele. A ideia é enfatizar também o fotógrafo como o protagonista de uma narrativa construída a partir do momento em que ele decide deixar uma vida de conforto (financeiro) na França para se dedicar a desvendar, através do olhar, um mundo culturalmente múltiplo.
Bruno ressalta que algumas das situações ilustradas realmente aconteceram. Outras têm uma dose de fantasia. Já o personagem desenhado mistura um Verger adulto e criança, em sintonia com o público-alvo da exposição.

A exposição se destaca também pela tentativa de fazer um paralelo entre a obra de Verger e As Aventuras de Tintim, histórias em quadrinhos editadas entre 1929 e 1983, bastante populares e que se tornaram clássicas graças ao apuro estético dos traços e aos roteiros bem elaborados pelo autor belga Georges Prosper Reni, mais conhecido como Hergé.

As HQs narram as peripécias do repórter e viajante Tintim em várias partes do mundo.  As Aventuras de Pierre Verger destaca o paralelo entre as imagens do fotógrafo e a representação realista da arte sequencial de Hergé, explorando a similaridade de ângulos, perspectivas, situações, cenários e personagens, numa aproximação estética e na construção do imaginário sobre culturas em terras longínquas ao continente europeu.

 Serviço Exposição As Aventuras de Pierre Verger Local: Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA)
Avenida Contorno, s/n.º, tel: (71) 3117-6139 Abertura: 12 de março de 2015, às 19h Entrada franca
Visitação: até 31 de maio de 2015 (terça a sexta, das 13h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h)

0 comentários:

Postar um comentário

 
Salvador Acontece - Copyright©2007 Salvador Acontece. Todos os direitos reservados. | by TNB-Adaptação:José Mendes ©